Porque não sou produtivo?

Há incontáveis estratégias para ser mais produtivo. Aliás, há blogs, livros, apps, macumbas do professor Mambo somente dedicadas a encontrar estratégias para tornar as pessoas mais produtivas. Todos nós já procurámos tácticas para nos tornarmos mais eficientes, estratégias para conseguir mais em menos tempo, planeámos como podemos procrastinar menos, etc, etc, e ainda mais etc… Mas por vezes, ou quase sempre, parece que nada funciona.

O que estamos a fazer de errado? Onde se encontra esse precioso Santo Graal  da produtividade do qual todos queremos beber e fazer/ser tudo o que sempre sonhámos?

Peço desculpa, não queria dar esta informação assim sem preparação mas… esse cálice não existe. Não existe, nem nunca existirá, nenhum tipo de estratégia milagrosa que nos torne (realmente) mais produtivos.

Porque é que dizes isso, Valter? Isso é uma informação dramática.. – Estará agora o leitor a pensar.

Então não podemos ser mais produtivos?

Claro que podemos! Mas, normalmente, procuramos essa “produtividade” nos locais errados. Procuramos em estratégias, em tácticas, apps. Procuramos estratégias quando no fundo procuramos razões. Procuramos a forma e não o conteúdo.

A nossa sociedade está completamente concentrada nos fins e esquecida dos meios. O consumismo e imediatismo estão a retirar-nos a capacidade de sofrer, de pensar e de sonhar. Tudo isto leva exactamente ao caminho para a IMPRODUTIVIDADE, procrastinação e depressão. Esse facto é facilmente verificável pelos crescentes números de consumo de anti-depressivos, depressões e suicídios, actualmente.

O que eu consigo observar é uma enorme lacuna ao nível do desenvolvimento pessoal. E, quando digo isto, estou a falar de uma incapacidade geral de introspecção, auto-planeamento e auto-disciplina. A era da informação empurrou-nos para este lugar escuro. Inconscientemente, alocámos toda a nossa atenção fora de nós mesmos. “Papamos” tudo o que a bondosa mãe-media e o generoso pai-facebook nos colocam à frente. E isso tornou-nos perigosamente controláveis por outros, mas sobretudo tirou-nos muito do possível controlo sobre nós próprios.

Tenho vindo a debater-me com este assunto desde há muito tempo, e consigo perceber as influências exteriores que me levaram e ainda levam a ser “menos produtivo”. É um problema multi-factorial disseminado até ao tutano da nossa sociedade. Nós, muito simplesmente, temos muita falta de pensamento de qualidade.

Se não pensamos, não sonhamos. Se não sonhamos, não planeamos. Se não planeamos, não fazemos.

A grande lição que aprendi sobre produtividade, ao longo de grandes espaços temporais sem motivação e sem plano, foi a seguinte: Antes de tentar ser produtivo é necessário ter uma excelente razão para produzir. Antes de colher os frutos da árvore é preciso cuidar da árvore. E antes há que plantar a árvore, e ainda antes tem de se decidir onde plantar a árvore.

Tudo isto leva tempo. E, hoje em dia, tempo é algo que não há.

Quando eu afirmo que estratégias de produtividade não funcionam isto não é inteiramente verdade. Elas vão funcionar para pessoas que estão a colher os frutos da árvore e, por exemplo, querem colhê-los mais depressa. No entanto, estas pessoas serão uns 5% da população.

Os restantes 95% estão a tentar colher frutos da árvore sem sequer ter a árvore plantada. Estão a tentar utilizar estratégias de produtividade num dia-a-dia em que não sabem bem o que querem. Num trabalho no qual podem nem estar 6 meses, e a ser explorados em nome da tal produtividade. Num ritmo hipnótico em que só interessa pagar as contas, arranjar dinheiro para um telemóvel novo, ou um carro, ou uma viagem, etc. Num passar dos dias onde não há o um horizonte médio/longo prazo.

Isto está A ACONTECER neste momento. A sociedade está a levar-nos colectivamente neste sentido.

Queres ser mais produtivo:

1º – PENSA > Guarda tempo para pensar todos os dias. Tira férias para pensar, se necessário. Pensa longamente. Pensa e permite-te entusiasmar por um futuro pensado por ti. Se não te conseguires entusiasmar pensa mais, e pensa sobre os medos que te impedem de sentir entusiasmado.

2º – DECIDE > Decide que queres lutar por esse futuro entusiasmante.

3º – ESCREVE O PLANO > Cria um plano detalhado para lá chegar. Escreve o plano, se não estiver escrito não existe.

4º – EXECUTA > Executa o plano.

5º – SÊ MAIS PRODUTIVO > Nesta fase já podes utilizar uma ou duas estratégias de produtividade, se necessário.

Parece fácil? Não, não parece. Mas só a partir do momento em que se tem um plano entusiasmante é que conseguimos ser realmente produtivos. De resto, tudo não passa de utilização de estratégias que se abandonam uma semana depois. Umas “injecções de produtividade”, nada mais.

Vou sem dúvida revisitar frequentemente este assunto. Expor as minhas considerações sobre a criação de um bom plano e de uma vida em que estejamos no controlo e não controlados por outros.

Até à próxima.

Com amizade,

Valter

Uma Avestruz Voadora

Written by Valter